O Caminho de menor resistência

infinito II

No nosso dia-a-dia, temos tendência a efetuar resistência. Há pessoas e situações a que resistimos de forma automática, sem questionar.

Descobri que a melhor forma de lidar com quaisquer situações é não resistir a elas. Aprender a fluir com.

Eu sei que isto é mais fácil dito que feito. Estamos habituados a controlar ferozmente as nossas vidas. Seja de acordo com as nossas visões superficiais dos assuntos que moram em nós, ou da influência de opiniões alheias que permitimos que nos contamine. Acontece que o controlo é uma ilusão. Em momento algum temos controlo sobre as situações ou pessoas. É um dispêndio de maravilhosa energia, que pode ser canalizada para outros lados, que nos beneficiam mais. O controlo pode limitar as possibilidades de renovação das nossas vidas.

Acredito que a todo o tempo, o Universo conspira a nosso favor. Se deixarmos fluir os acontecimentos e as pessoas (aceitando-as como são), então novas possibilidades e pessoas surgem naturalmente. Tudo o que nos aconteça, é sempre a nosso favor. Mesmo que não pareça.

A partir do momento em que nos decidimos alterar o nosso comportamento habitual, começamos a ter percepção dos “control-freaks” que somos. É difícil alterar hábitos arraigados, mas com o passar dos dias e estando atento, consegue-se alterar. (Eu estou a conseguir!) Sem culpas, sem recriminações – para os outros, ou para nós… Cada dia trás novas oportunidades, e se desta vez voltamos a perder a paciência, o nosso centro, outras oportunidades de fluir seguirão.

Depois do choque de entender o quanto limitamos as nossas vidas e relações usando o caminho de resistência, habituamos-nos a este viver mais simples.  É-nos pedido que vivamos o Agora, o momento. Cada momento vem com o presente de uma nova chance de alterar algo que nos chateia e limita. Em vez de olharmos para aquilo da mesma forma de sempre, olhamos com o coração, e com a mais alta visão de nós mesmos.

Ao escolhermos viver a todo o momento a mais alta versão de nós mesmos, podemos viver velhas situações de novas formas. Sentir as situações, e seguir de forma destemida o que diz a voz interior.

Viver no momento, de coração aberto e fluindo, livres de culpas, é um dos caminhos para a felicidade.

Artwork: Dasalexa

Anúncios